A importância do briefing

Briefing, por definição, é o “ato de dar informações e instruções concisas e objetivas sobre missão ou tarefa a ser executada”. A palavra está bastante associada ao mundo militar e publicitário. Como não tenho conhecimento nenhum sobre o primeiro, vou focar no segundo.

Existem diferentes tipos de briefing e diferentes técnicas para transmiti-lo. Mas frequentemente me deparo com uma despreocupação com, provavelmente, a parte mais importante de um trabalho. E tenho convicção: ninguém salva um trabalho que começa com um briefing errado.

É meu papel como atendimento publicitário dentro da agência coletar os briefings para a pauta do dia a dia. E ao longo dos anos desenvolvi alguns macetes para isso. Mas tudo passa por responder 4 perguntas básicas, de forma concisa e objetiva. São elas:

Qual a situação atual?
Qual a situação desejada?
O que temos para transformar a situação atual na situação desejada?
Quem é o público-alvo?

 

briefing

Vamos detalhar?

Qual a situação atual?

O que está acontecendo dentro da empresa? E no mercado? E com o produto/serviço?

Esse é o espaço para descrever (de forma concisa e objetiva) o cenário que trouxe a necessidade de um esforço. No nosso caso, uma campanha ou peça publicitária.

Qual a situação desejada?

Qual é o objetivo desse esforço? A lista de objetivos pode ser imensa, mas para focar o trabalho é importante termos um principal: vender mais, lançar um produto, fidelizar clientes, etc.

Uma campanha poder ter mais de um objetivo? Claro. Mas é importante elegermos o principal. Se tivermos mais de um provavelmente será preciso dividir o trabalho em dois momentos. Lembrando sempre: de forma concisa e objetiva.

O que temos para transformar a situação atual na situação desejada?

Quais são os recursos, os diferenciais e as características que devem ser usadas para comunicar? De forma concisa e objetiva, é preciso descrever as razões para se vender mais, o que o produto oferece, ou ainda, quais as vantagens para o cliente tornar-se fiel à marca.

Quem é o público-alvo?

Parece básico, mas podemos ir muito além do perfil demográfico (sexo, idade, classe social…). De forma concisa e objetiva, personificar o público para aproximar é um belo recurso: como é a rotina das pessoas? Com o que estão acostumadas? Do que gostam? Como receberão a mensagem? Já foram impactadas antes? Mas importante: isso não pode ser chute. Caso não tenha essas informações é melhor ficar apenas no demográfico, mesmo que isso torne o briefing mais raso.

E uma dica valiosa: ao contrário desse texto, um briefing não precisa ser repetitivo. Quanto mais concisas e objetivas as informações, mais fácil será a assimilação.

Guilherme Lara
Diretor de Comunicação na Cinco TI Marketing

O Fala, Cinco! é mais uma ação da 5TI com o objetivo de estreitar a relação com os nossos clientes, além de transmitir o nosso espírito empreendedor e experiências de mercado. Seja bem-vindo!

Conheça mais sobre a Cinco TI!

Tópicos recentes

Arquivos

avatar Written by:

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *