We are no longer the humourists who say Ní

De tempos em tempos, surgem pessoas geniais em suas respectivas áreas. Einstein na Física. Pink Floyd na música. Tolkien na literatura. Coppola no cinema. Romário na centroavância.

De todas as áreas possíveis, uma das mais difíceis de encontrar algum destaque é o humor. Principalmente nos dias de hoje, onde se consome qualquer coisa histriônica, e onde piadas escatológicas se repetem com a velocidade do Messi indo em direção ao gol adversário.

Não que o humor escrachado seja necessariamente ruim. Pelo contrário, pode ser muito bom. Mas tem que ser ao mesmo tempo sutil e inteligente, e não apelar apenas pro pastelão ridículo. Um belo exemplo disso é a série de livros O Guia do Mochileiro das Galáxias, do inglês DOuglas Adams, que eu já comentei aqui. Livros repletos de situações que vão do absurdo ao ridículo e, mesmo assim, com uma inteligência e humor sagazes que fazem rir e prendem o leitor à historia completamente non-sense.

Mas foram outros britânicos que me estimularam a escrever sobre esse assunto. Com a falta de um ícone atual desse humor inteligente, é difícil não retornar ao genial Monty Python Flying Circus.

Monty Python Flying Circus é uma série de tv inglesa que começou em outubro de 1969. Composto por vários esquetes, ultrapassaram as fronteiras do Rei Arthur e influenciaram inúmeros programas humorísticos em diversos países (como por exemplo o Saturday Night Live).

Os 6 componentes desfilavam nos programas, filmes, shows, etc, o que o humor inglês tinha de mais sarcástico, instigante e divertido. Alternavam entre esquetes absurdamente simples – e mesmo assim engraçadíssimos – e outros mais inteligentes, pontuais – e mesmo assim engraçadíssimos.

Monty Python em Busca do Cálice Sagrado (um dos filmes do grupo) é, até hoje, considerado uma das melhores comédias – e por que não – um dos melhores filmes já feitos. Os Cavaleiros que Dizem Ní – personagens que tem uma pequena participação no filme – viraram referência mundial, sendo repetidos à exaustão em sátiras de outros programas humorísticos. Por aí, dá pra ter uma ideia do quão abrangente foi o modelo de comédia que esses ingleses criaram.

Seguem abaixo dois vídeos que provam muito melhor tudo o que eu acabei de dizer. Em tempos onde Rafinhas Bastos são glorificados, é bom ver alguma coisa que seja realmente estimulante.

O Exército Suicida – do filme A Vida de Brian

O Futebol dos Filósofos – da apresentação ao vivo no Hollywood Bowl

O Fala, Cinco! é mais uma ação da 5TI com o objetivo de estreitar a relação com os nossos clientes, além de transmitir o nosso espírito empreendedor e experiências de mercado. Seja bem-vindo!

Conheça mais sobre a Cinco TI!

Tópicos recentes

Arquivos

avatar Written by:

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *